Cada um por si (trabalhador egocêntrico)

Eu sou trabalhador
A procura de um emprego

Eu sou mais um cidadão brasileiro
Que a inflamação
Está comendo o meu dinheiro

Veja o absurdo dos preços
Dos derivados do petróleo

Do arroz, do feijão, do óleo de soja
Do café, da carne, do pão
Do gás de cozinha, do aluguel e da energia

Os meus filhos não tem saúde e educação
Que lhe são direitos

E seja em qual for a esfera
As gestões públicas só representam
O pequeno grupo delas

Governos genocidas e sensacionalistas
Que dividem o país fazendo o povo de vítima

E esse cidadão infeliz
Está endividado e desesperado

A ponto de aceitar
Sem reclamar desse castigo
Que Deus quis

Mas, é preciso aprender
Com esses erros

Para escolher melhor
Quem dê valor
Para esse povo guerreiro

Já chega de ser
Massa de manobra

Que vota nos ladrões
Independente dos partidos
Que estão no poder

Já chega de se perder
Na cortina de fumaça

Que eles criam para nos entreter
Enquanto eles fazem o que querem
Na ganância de se enriquecer

E o primeiro de maio
É a data simbólica e comemorativa
De quem acumula boletos, frustrações e injustiças

Afinal o trabalhador do Brasil
Infelizmente não tem valor

Nem organização para se unir
E expressar numa revolta
A indignação dessa dor

Onde já se viu
Ser egocêntrico assim

A ponto de ser
Cada um por si
E os governos contra o povo

Acorda, trabalhador acorda
A corda está em seu pescoço

Cada um por si ( trabalhador egocêntrico)
Julio Cantuária

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.