Desabafo do trabalhador

Desabafo do trabalhador

Que dia longo
De trabalho duro
E pior ainda é o atrasado
Transporte público

Gente folgado
É igual mato
Tem pra todo lado
Mas, o melhor é ficar calado

E depois de ouvir absurdos
E engolir sapos
A gente chega em casa
Queimando de raiva
Como madeira em brasa

Há, como eu queria
Uma boa melodia
Uma hidro massagem
Um bom vinho
Um carinho
Uma viagem

Poderia ser para às estrela
Para esfriar à cabeça
E que se esqueça
O valor das moedas

Viagem que alegra e purifica
Que me faça lembrar
O quanto à vida é tão bonita
Mesmo nessa grande Babilônia

Mais isso tudo não passa
De vontade
Já que é bem diferente
E triste à realidade

Desse pobre sonhador
Que não passa de número
Nesse abismo fundo da dor
Dos conflitos e desigualdades

A realidade é mesmo diferente
Daqui a pouco o galo canta
E as contas empurra a gente
Pra velha rotina de sempre

Mas, apesar de tudo
A gente ainda acredita
Num lugar ao sol
Na sombra e água fresca
E num futuro bom

E que Deus nos proteja
Nessa dura peleja
Pra sobreviver
E vencer às tristezas

Aproveitando o tempo
Que nos resta
Longe de tudo isso
E de suas consequências

Desabafo do trabalhador
Julio Cantuaria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *