Despedida

Despedida

A despedida é uma dor
Triste, desmedida
E totalmente descabida
No peito sofredor

Sabe-se
Que terá que conviver
Com a distância
Com a amarga saudade

E com a ausência
De um ser amado
Que nos amou
E que fez parte da história

Uma breve
E trágica notícia
É o que antecede
A despedida de uma vida

Que jamais
Iria querer dizer adeus
A quem vai assim
Tão derrepente

E a despedida
Cai como um véu
Que escurece os olhos
Que se enche de lágrimas
Como a chuva

Nas nuvens do céu
Que desaba
Numa grande tempestade
Fazendo o desespero
Tomar conta da vontades

O sorriso é substituído
Pelo semblante desolado
Desiludido de quem ficou
Sem chão e sem rumo

Ao ver o ente querido
Sendo velado
Num caixão
Com destino ao outro mundo

E por mais que a pessoa
Tenha cumprido
A sua missão
É muito difícil essa aceitação

Ainda que se tenha
Boas lembranças
Resumidas em grandes
Momentos vividos

Ao lado de alguém
Que partiu
Nos deixando
De coração partido

Ainda que haja a certeza
De que o céu ganhou
Mais uma estrela
Que vai brilhar lá de cima

E iluminar os caminhos
Da vida que segue
Mesmo sendo feita
De encontros e despedidas

E pode até parecer egoísmo
Não querer se despedir
De alguém que nos faz bem
E que Deus a quer também

Mas o fato
Deste triste pesar
Que relato
Enquanto choro

É que a despedida é uma dor
Triste, desmedida
E descabida
No nosso peito sofredor

Por isso, choro
Sofro e lamento
Ao dizer adeus
Aos olhos lindos
Da minha vó Zú que fechou

Despedida
Julio Cantuaria

Uma pequena homenagem a minha vó e madrinha Jesuína Maria de Oliveira que partiu aos 90 anos de idade, no dia 28/03/18, nos deixando a dor da perda, boas lembranças, ensinamentos de vida e essa imensa saudade.
Descanse em paz minha
linda e adorável avó, conhecida carinhosamente, por muitos na pequena cidade de Porteirinha, Minas Gerais como dona Zú.

3 respostas para “Despedida”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *