Ladrões (usurpadores da pátria)

Almas sebosas
Vermes rastejantes
Ladrões de terno e gravata
Usurpadores da pátria

Gente sem moral
Sem escrúpulos
Praticam o mal
Em busca do lucro

Querem o poder
A todo custo
Fazem questão
De fazer o pobre sofrer

E ainda dizem ter
Deus no coração
Mesmo carregando sangue
De inocentes nas mãos

Afinal, roubam a saúde
Do cidadão doente
Tiram o futuro das crianças
Que merecem uma boa educação

Apagam a nossa esperança
Superfaturando obras
Desviam da merenda
Se apropriam de recursos públicos

E ainda cobram a conta
Nas costas do povo
Através de altos impostos
Que nunca retornam como benefícios

Só pensam em caixa dois
Negociatas, propinas
Rachadinhas, acordos ilegais
Vendas de estatais e comissões

E se não fosse o bastante
Ainda financiam a guerra
Para defender os interesses
Do capital e do mercado

Mas ouçam a nossa voz
Seus bandos de ladrões
A hora vai chegar
E Deus fará justiça

Porque ele está vendo tudo
Seus bandos de ladrões
Vermes rastejantes
Porcos imundos

Amebas, bactérias
Sangue sugas, almas sebosas
Que vivem do roubo
E de corrupções

Enquanto o povo sofre e morre
Por suas más ações
Usurpadores da pátria
Que tiram de nós tudo que podem

Falsos lideres, melicianos
Juizes, políticos, empresários
Polícias, doutores, pastores
E atores de movimentos ilícitos

Integrantes de máfias
Que tiram os nossos direitos
Roubando a nação
E levam o dinheiro em ações

Nas cuecas e nas malas
Vergonha alheia
Como conseguem
Fazer parte dessa sujeira?

Já que se beneficiam das leis
Cadeia é pouco pra vocês
E se hoje saem como inocentes
Pela porta da frente

Amanhã a doença
Lhe comera a carne
E a alma queimará no fogo do inferno
No sofrimento eterno

Que Deus não tenha pena
Muito menos dó de vocês
Porque é assim
Que fazem com nós

E cedo ou tarde
Teram o fim
Pelo que fazem hoje
Sem nenhum remorso

Ladrões (usurpadores da Pátria)
Julio Cantuária

2 respostas para “Ladrões (usurpadores da pátria)”

    1. Thiago muito obrigado pela leitura e pela gentileza do comentário. E de fato, você tem toda razão, afinal, esse poema representante a revolta popular devido aos inúmeras escândalos de corrupções que mancha a história do nosso país e tira a nossa oportunidade de uma vida melhor e mais digna.

      Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *