Tão espinho quanto eu!

Tão espinho quanto eu
Eu não fico blasfemando
Contra deus e contra todos
Por causa do meu fracasso
Nem tão pouco reclamo
Da minha falta de sorte
Mesmo reconhecendo a solidão
Triste que vivo
Mesmo sentindo a dor
Mau de amor
E não minto
E apesar de tanta frustração
De ver o coração em cacos
E ainda sim tentando resistir
Ao desmanche das lágrimas
Porque alguém que bateu asas
E foi pra longe de mim
Mas, eu não a condeno
Afinal, cada um tem direito
De fazer suas escolhas
Mesmo que pareçam de momentos
E sinceramente
Não acho que foi perca de tempo
Tudo o que eu vivi contigo
Sei que amei e estou sofrendo
Mas aprendi
O quanto é bom tentar
Amar alguém pra ser feliz
Por isso não vou ficar
Jogando indiretas
Não vou criticar a vida alheia
Até porque, se não tive coragem
De passar a limpo
E pessoalmente o que penso
Não vai ser nas entre linhas
Que vamos  chegar no consenso
E mesmo sendo difícil pra mim
Ser só seu amigo
Eu a quero bem
Sei que dói reconhecer o fim
Mas cedo ou tarde ele vem
Só peço que não fique por aí
Se fazendo de vítima
Falando o que não aconteceu
Lamentando da sensibilidade
Que nunca me deu
Eu reconheço que a verdade
É que não sou bom
Em demonstrar carinhoso
Mas você foi
Tão espinho quanto eu
Tão espinho quanto eu
Julio Cantuaria